sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011 – Parte III

O prefeito Flávio Veras deixou o Teatro Municipal  Hianto de Almeida se acabar,  retrato de uma administração desastrosa, que não tem compromisso com a história cultural de Macau.

Já no fizinho do ano, blog Macau em Dia comemora mais uma vitória sobre o ditador Veras, que foi a renovação e reajuste do valor do convênio com a Maternidade José Varela. O blog foi o único que pressionou os vereadores da base governista e mobilizou a população sobre essa barbárie que Flávio Veras planejava executar. Ele não renovaria o convênio da APAMI com a Prefeitura Municipal, propositalmente, visando o fechamento da instituição, por simples pendenga política. No entanto, o blog percebeu a jogada de Flávio e alertou a sociedade macauense sobre essa ardilosa jogatina com a saúde dos macauenses.

Neste blog, o leitor macauense também viu o superfaturamento das bandas do carnaval, onde milhões de reais foram pagos a bandas que fazem shows em outras cidades pela metade do preço pago por Flávio Veras, inclusive propagado pelos blogs macauenses com fotos de notas fiscais. O povo só saiu perdendo com isso, o superfaturamento tem como objetivo tirar o dinheiro público do povo e repassar para pessoas trapaceiras e desonestas.

O leitor do Macau em Dia também viu que a Educação de Macau nunca sofreu tanto quanto nas mãos de Flávio e seus assessores. Num plano maligno, e com o único intuito de acabar com a imagem do médico Eduardo Lemos, Flávio Veras foi capaz de tirar a merenda escolar das crianças e jovens, demitiu as merendeiras e não investiu na modernização e estruturação de escolas e creches municipais.

Numa tentativa alucinada de desmoralizar os professores, o perigoso Flávio Veras não pagou o Piso Salarial dos educadores macauenses, estabelecido em Lei. Pois é, ainda vimos o sucateamento do transporte escolar, sendo que os filhos de Macau tiveram que se aventurar dos distritos até a zona urbana em ônibus precários. As escolas superlotadas e sem as condições básicas necessárias para o desenvolvimento do aprendizado do aluno.

Na cultura ninguém poderia esperar nada, pois sabemos muito bem quem a administra. O Teatro Municipal Hianto de Almeida continua lá, esquecido e em ruínas, e só não é reformado pelo fato de não ter sido construído na gestão de Flávio. No governo de Zé Antônio, os macauenses tinham uma intervenção cultura de 100 dias. Já no governo de Flávio, a cultura é esquecida e depreciada o ano todo.

Continua...

3 comentários:

  1. movimentoforaflavio30 de dezembro de 2011 09:08

    pouca gente ver internet, isso deve ser dito na cidade toda. tem gente que se abestalha com asfalto na rua e isso não enche barriga. esse prefeito não tem amor por essa terra não. humilha as pessoas, não respeita ninguem, outro dia tava dizendo lá na praia chei de cachaça QUERO TUDINHO NO PÉ DO MEU OVO. isso é coisa que um prefeito diga. pensa que compra todu mundo. quem tem vergonha precisa gritar FORA FLÁVIO EM 2012. e a oposição precisa de unir de qualquer geito. zé filho, eduardo, odete, edval, dr. wilson,o pt, todo mundo junto para salvar essa cidade. Deus é grande!

    foraflavio@uol.com.br

    ResponderExcluir
  2. Caralho como tu é inteligente!!!!
    SANDRO CARVALHO

    ResponderExcluir
  3. Omi essa retrospectiva retrata a Macau que vivemos fielmente, sem cortes, sem enganação ou 30 moedas. Essa é a Macau que o Blogueiro e Babão combatia a meses atrás, Ele mesmo dizia que não confiava na palavra de Flávio, que Flávio era um psicopata político, que Macau estava abandonada, como as coisas mudam né Blogueiro safado e vendido, você tem 3 mil motivos mensais agora pra falar bem de Flávio, mas antes ficava se humilhando atrás de Odete, Bosco e Eduardo. Omi tenha vergonha, dê exemplo pra seus filhos, quem o futuro julgará o Blogueiro defensor do povo (sem ter bubu) ou um subserviente e vendido blogueiro (que com bubu) tornou Macau uma Suiça, só se for pra você safado, rídiculo, otário babaca...

    ResponderExcluir